7 passos de como começar

Deseja implementar um EaD?

7 passos de como começar

Com a popularização e o desenvolvimento cada vez mais gradativo da internet, muitos são os professores, coordenadores e profissionais da área da educação que visam a implantação de programas de educação a distância (EaD) nas instituições de ensino em que atuam.

E se você também está pensando em implementar um programa de EaD, seja em uma escola, em um centro de idiomas ou até mesmo no ensino superior, confira neste artigo 7 passos para começar.

Desejar implementar um EaD

1. Planejamento
O momento é de transformação para todos - empresas, universidades e quaisquer outras instituições de ensino. Sendo assim, os investimentos em EAD se tornam propícios e vantajosos em qualquer cenário com suporte tecnológico.

Com base nisso, um bom programa de EAD envolve também um bom planejamento, sendo ele composto pela definição do púbico-alvo, do tema que será trabalhado, da duração do curso e de cada uma das aulas, os recursos financeiros disponíveis para esse investimento e assim por diante. Vamos conhecer mais sobre esses aspectos nos tópicos seguintes.

2. Definição de público-alvo
Definir o target primário e secundário do seu programa de educação a distância é fundamental para que ele tenha os resultados esperados.

Sendo assim, antes de qualquer coisa, pense: quem se sentirá atraído por esse conteúdo? São jovens? Estudantes universitários? Donos de empresas? Atletas? Funcionários de um determinado segmento do mercado de trabalho?
Respondendo a essas perguntas, você já terá uma base traçada sobre o perfil do seu público, o que irá direcionar o tipo e a forma de apresentação do conteúdo do mesmo.

3. Quais assuntos serão abordados? E de que forma?
Um curso para nível de estudantes do ensino médio difere em muitos sentidos de um curso voltado para donos de empresa, que na grande maioria dos casos, já possuem MBA ou cursos de pós-graduação completos.
Sendo assim, primeiro defina qual será o assunto tratado pelo curso, e depois, pense até onde esse conteúdo irá se aprofundar. O curso será para iniciantes, ou seja, curiosos no assunto, ou será para nível avançado, ou seja, com informações novas sobre algo que o seu público já conhece bem?

Essas informações devem ser respondidas com toda sinceridade e cautela, principalmente na hora de vendê-lo - o que irá evitar qualquer tipo de crítica negativa acerca do material.

4. Duração do curso e da aula
Programas de educação a distância podem ser compostos por cursos de anos, meses, semanas, dias ou até mesmo horas. Qual será a duração do seu?

Lembre-se que essa escolha irá depender exatamente do seu público-alvo e do conteúdo tratado - quanto mais abrangente for, maior costuma ser o tempo de duração (e vice-versa).

Além disso, defina também qual será o tempo para cada aula. Aulas muito longas, acima de duas horas por dia, costumam ser massivas e podem deixar o participante cansado.

Por outro lado, aulas mais espontâneas, interativas e marcadas por períodos mais curtos são comumente as preferidas - principalmente pelo público mais jovem.

Sendo assim, o que vai direcionar a escolha de duração do curso e de cada uma das aulas também já está nos tópicos anteriores.

5. Como o conteúdo do curso será dividido?
Dividir o conteúdo em seu programa de educação a distância é fundamental, mas está longe de ser uma tarefa fácil. Isso porque essa divisão pode ser feita em diferentes cursos e, posteriormente, em diferentes módulos dentro dele.

Se você está criando um programa de EaD na área de comunicação, por exemplo, precisará criar diferentes cursos para as áreas: Comunicação estratégica e empresarial (ou marketing); Jornalismo; Relações Públicas; Publicidade e Propaganda; e assim por diante.

Isso feito, é necessário dividir também qual será o conteúdo trabalhado em cada curso e, especificadamente, em cada módulo deles. Trabalhoso, não é mesmo?

6. Como está a questão da verba?
Quanto a sua instituição de ensino está disposta a gastar para tornar o programa de EaD um sucesso?

Pois é. Os investimentos em cursos online realmente são mais baixos do que quando em comparação a cursos presenciais, mas isso não significa que eles sejam inexistentes.

Ao criar um programa de educação a distância, é necessário atentar para os seguintes investimentos: recursos interativos e que tornem os cursos online mais interessantes (o que pode exigir a assinatura de alguma ferramenta ou plataforma, por exemplo), investimento em profissionais qualificados para a produção do conteúdo dos cursos, investimento em plataformas ou sistemas Moodle para a hospedagem dos mesmos, gastos com divulgação e assim por diante.

Uma boa dica neste sentido é criar, logo no início do planejamento, uma planilha especificando os tipos de gastos necessários e a verba disponível para cada um deles.

7. Comece a preparação do material
Com os tópicos do planejamento evoluídos e bem determinados, chegou a hora de começar a desenvolver o programa de educação a distância.

Aqui começa a produção de conteúdo, o investimento em ferramentas, plataformas e demais meios tecnológicos para torná-lo um sucesso.

O programa partirá do zero ou já tem algo definido? Quais serão os formatos das aulas? Qual é o tipo de material que melhor atende aos intuitos do curso? Responda cada uma dessas perguntas com precisão e você estará pronto para começar!

Registros de Preços

Agilize o seu processo de compras. Conheça as nossas

Atas de Registro de Preços para Ensino a Distância.

Obrigado!

Enviamos a ata para o seu e-mail. Qualque dúvida fale conosco.

Registros de Preços

Agilize o seu processo de compras. Conheça as nossas

Atas de Registro de Preços para Ensino a Distância.

Obrigado!

Enviamos a ata para o seu e-mail. Qualque dúvida fale conosco.